LPB: Francisco Amiel antevê ida do Algés ao Barreiro

Francisco Amiel participou em todos os jogos
da equipa sénior na LPB (11).
Apesar de ainda ser um atleta do escalão Sub-18 (fez parte de todos os centros de treino e jogou nas Seleções de Sub-16 e Sub-18), Francisco Amiel tem vindo a conquistar o seu espaço na equipa Sénior e conta que está bem integrado num grupo que é “muito unido”. No próximo fim-de-semana a equipa vai ao Barreiro defrontar o Galitos e só pensa regressar a casa com um triunfo.


Como está a correr este primeiro ano de experiência de Liga? 

Está a ser muito positivo. Tem sido principalmente um ano de grande aprendizagem, onde tenho a oportunidade de jogar ao mais alto nível em Portugal, contra jogadores que cresci a ver jogar e que sempre tive como referência, tanto na minha equipa, como nas restantes do campeonato. 

O grupo de trabalho do Algés tem facilitado a sua integração a este nível de competição? 

Sim, sem dúvida alguma, fui muito bem recebido pela equipa. É um grupo muito unido e isso facilitou muito o meu processo de integração a este nível, pois é uma mentalidade competitiva completamente diferente da que estava habituado, tendo, para além do mais, o privilégio de jogar com jogadores já com experiência nesta liga e noutras estrangeiras que me ajudam e dão conselhos. 

Quais foram as maiores dificuldades que sentiste? 

A minha maior dificuldade foi exatamente manter-me sempre competitivo, tanto nos treinos como nos jogos, pois a este nível um pequeno deslize pode custar um jogo e, numa liga tão competitiva como está a ser esta, todos os jogos são importantes. 

O Algés continua a realizar um campeonato muito positivo. Na tua opinião, o que tem permitido o sucesso da equipa? 

O sucesso que a equipa tem tido deve-se sobretudo ao trabalho. Tal como já disse, é um grupo muito unido, que trabalha diariamente com um objetivo em mente, e que é comum a todos: o sucesso da equipa. 

Uma vitória no Barreiro seria um passo importante para pensarem em objetivos mais ambiciosos. Concordas com esta análise? 

Neste momento todas as vitórias são importantes, mas devemo-nos concentrar principalmente em fazer as coisas que trabalhamos durante a semana e levar jogo a jogo, sendo este jogo com o Galitos apenas mais um de onde, obviamente, queremos sair com um resultado positivo. 

Parar ou conter a influência de Miguel Minhava continua a ser a forma de minimizar o sucesso ofensivo do Galitos? 

O Miguel Minhava é, sem dúvida, uma peça importante e com grande influência na equipa do Galitos, mas não é a única. Há mais jogadores que podem fazer a diferença, tal como o António Tavares, os dois americanos e ainda muitos outros portugueses com imensa qualidade. 




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mini-Basket está de volta!