Algés em 1º

Continua a reinar a emoção 
na Liga Feminina
O Algés ascendeu, à condição, ao comando da Liga Feminina, em igualdade pontual com as escolares, depois de ter vencido esta terça-feira o GDESSA (61-51), em jogo antecipado da 15ª jornada. A competição está ao rubro, já que a Quinta dos Lombos passa a ser a única equipa com duas derrotas, o CAB tem o mesmo número de derrotas que o duo da frente (3), embora ambas tenham dois jogos a menos.
José_Araújo
Este jogo colocava frente a frente o 1º e o 2º classificados da Liga Feminina. Havia desde logo de registar as ausências, por lesão, de Ana Oliveira (Algés), e de Telma Fernandes e Catarina Neves (GDESSA).
Má entrada da GDESSA no jogo, com muitas dificuldades ofensivas contra a boa defesa do Algés. No final do 1º quarto o resultado demonstrava isso mesmo, já que era favorável ao Algés por 8 pontos (15-7). A norte americana Tyeasha Moss, uma das principais armas ofensivas do GDESSA, ficou em branco neste quarto e as escolares ressentiram-se desse facto.
No 2º período o GDESSA esteve um pouco melhor, embora nunca tenha chegado a baixar dos 6 pontos de desvantagem. Nas zonas pintadas assistia-se a uma duríssima, mas sempre leal, luta entre Laura Broomfield (Algés) e Keyona Bryant (GDESSA), pelas posições mais próximas do cesto, com ligeiro ascendente da algesina. O intervalo chegava com o resultado aumentar para 10 pontos de diferença para as visitantes.
Após o regresso do balneário assistiu-se a um GDESSA transfigurado para melhor, que através de transições rápidas e um ataque organizado mais estável, conseguiu encostar o resultado a dois pontos (42-44). Neste período a norte-americana Moss começou a mostrar o porquê de ser considerada uma das melhores estrangeiras da Liga portuguesa.
E quem começou melhor o último e decisivo período foi mesmo o GDESSA, que de imediato empatou a partida a 44 pontos. Após esse momento o jogo entrou numa fase de parada e resposta, embora com o Algés sempre na frente por margens mínimas. Um "turnover" de Emília Ferreira e uma desatenção desta na marcação à temível lançadora do Algés, Kathryn Geralds, que aproveitou para marcar o seu 3º triplo da partida, o GDESSA não mais conseguiu voltar a entrar na partida, acabando a diferença por subir até aos 10 pontos no termo do encontro (61-51).
Destaques no Algés para os impressionantes 18 ressaltos de Laura Broomfield, sendo sempre um quebra-cabeças para a defesa do GDESSA. Também para norte americana Kathryn Geralds e a jovem Simone Costa, com a primeira a ser a melhor marcadora da equipa com 17 pontos, e a segunda com um jogo bastante conseguido, quer ao nível ofensivo como defensivo.

No GDESSA, à exceção do 1º período em que pareceu alheada do jogo, Tyeasha Moss foi responsável por mais de 50% dos pontos da equipa (26 pontos). Laura Ferreira também se apresentou em bom plano, com 9 pontos, 6 ressaltos e 9 faltas provocadas.
Em resumo, a vitória do Algés assenta na maior profundidade de banco, que lhe deu o fôlego necessário para os últimos minutos.
As jogadoras que saltaram do banco do GDESSA não conseguiram ajudar muito a equipa (0 pontos e 0 ressaltos), enquanto do lado do Algés o contributo das suplentes foi absolutamente decisivo, com 12 pontos e 6 ressaltos.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mini-Basket está de volta!

O Algés na Escola Básica João Gonçalves Zarco