Ana Oliveira "O título este ano vai ser muito mais díficil do que no passado"

Ana Oliveira "O título este ano vai ser muito mais díficil do que no passado"
Ana Oliveira, jogadora internacional do Algés, equipa que terminou a fase regular no 1º lugar, faz-no obalanço da época e a Antevisão dos play-offs. 
Na fase regular averbaram apenas 3 derrotas, em Coimbra diante do Olivais logo à 2ª Jornada. Na Jornada seguinte voltaram a averbar derrota desta vez na deslocação ao Lousada. E por último voltaram a perder diante da Quinta dos Lombos. Após estes desaires no ínicio da época não mais "saborearam a derrota". 
Pode-se concluir que a época está ser excelente ?
Não se pode dizer excelente porque somos uma equipa que não tem sido tão consistente como queríamos. Mas este ano apresentámos uma equipa muito mais jovem e é normal não ganhar essa excelência tão rápido. Por outro lado, acho que se esta equipa continuar com a mesma estrutura a nível de jogadoras e de treinadores vai, sem qualquer dúvida, atingir esse nível. Contudo, posso dizer que neste último mês e meio temos sido muito mais consistentes e estamos a jogar muito bem em equipa.

Terminaram a fase regular na 1º posição. Que leitura faz ao último jogo diante da Quinta dos Lombos em que venceram por 70-61 ?
Terminar em 1º lugar é sempre muito vantajoso para qualquer equipa e para nós era um dos nossos objectivos. O jogo contra os Lombos era decisivo e mostrámos que tínhamos a lição bem estudada. Na 2ª parte elas entraram muito mais agressivas mas soubemos controlar o jogo até ao fim conseguindo a vitória.

No Play Off vai disputar a 1ª Eliminatória com a equipa CD Torres Novas. Espera dificuldades ?
Claro que sim. As 8 equipas que estão no play-off são muito competitivas e o Torres Novas é uma delas. Tem um cinco muito forte e muitas vezes fazem estragos quando o adversário não vai concentrado. É nesse sentido com que vamos trabalhar nas próximas 2 semanas.
Esta Época o título vai ser uma certeza ?
O título este ano vai ser muito mais difícil do que no ano passado. Temos mais de 3 equipas com capacidades para levar este título. Mas acredito muito no trabalho que está a ser feito e penso que se continuarmos a jogar como estamos neste momento temos grandes possibilidades.
Qual o adversário que mais teme no Play Off ?
Infelizmente ou felizmente, este ano há vários adversários dos quais nos dão muitas preocupações e dificuldades. Na maioria das vezes conseguimos superar as diferentes dificuldades apresentadas por diferentes equipas, o que não é nada fácil para qualquer equipa. Acredito sim no trabalho do Zé, e que se fizermos o que nos manda e seguirmos o seu plano, as outras equipas é que têm de nos temer.
A nível pessoal a bonita idade de 30 anos está a aproximar-se. Significa final da Carreira ?
Ai 30 anos!!! Nem me lembre disso... Claro que significa que está quase a terminar, e ainda para mais este ano tem sido o ano, em toda a minha carreira, que falhei mais jogos, no total 7 até agora, devido a consecutivas lesões por desgaste. Mas ainda vão ver muita Ana Oliveira por aí, se Deus quiser!!! :)

Fazendo um balanço desde a época 94/95 no Cenap. O balanço podia ser mais positivo ?
A minha carreira foi muito positiva. Passei por várias fases das quais qualquer jogadora de basquetebol sonha em passar. Estive num clube onde me acolheram como uma filha, O Esgueira, onde evolui muito como jogadora e onde arrecadei muitos títulos colectivos e individuais. Consegui uma bolsa de estudo nos Estados Unidos e depois fui jogar profissionalmente para Espanha.
Talvez tivesse sido melhor para a minha carreira ter-me aguentado mais tempo em Espanha, mas havia várias questões que falaram mais alto e uma delas foi ter experiência em competições europeias.
Esta é a minha terceira época no Algés, sou feliz aqui, adoro as pessoas que fazem parte do clube e o facto de já ter ganho alguns títulos ajuda a ser muito mais positivo. O ponto mais alto para mim, durante a minha carreira basquetebolista foi ter representado a selecção nacional desde as sub-16. Adoro o facto de integrar uma equipa de excelência, evoluir e jogar com as melhores. Adoro representar o meu país, jogar contra as melhoras do mundo, e claro, juntando sempre o útil ao agradável, consegui conhecer muitos pontos bonitos da Europa. O basquetebol deu-me muita coisa boa, e o que mais lhe tenho a agradecer são as amizades que fui fazendo ao longo dos anos pelos diferentes países. Isso sim, fica para sempre. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mini-Basket está de volta!